CNNA HL-07 a HL-15

  Aeronave destinada a executar missões de comunicação, turismo e transporte leve, o HL-7 foi concebido como um monomotor de ligação, capaz de transportar quatro ou cinco ocupantes. O plano original previa estrutura de madeira, asa baixa e trem de pouso fixo convencional. Porém não há informações sobre sua efetiva construção.

  O HL-9 seria uma versão bimotora do HL-8, com as rodas principais do trem de pouso fixo e protegido com polainas aerodinâmicas. Não ultrapassou a fase de projeto.

  O HL-10 foi projetado como o primeiro quadrimotor brasileiro, para ser um grande cargueiro de asa baixa usado para transporte de passageiros e carga, similar ao Boeing 307 Stratoliner. Sua construção foi iniciada, mas foi interrompida em fase adiantada, em 1955.

  O HL-11 era uma Versão desenvolvida a partir do HL-8 e HL-9, com mesmas fuselagem e asa, porém com apenas um motor, instalado no nariz. O motor seria produzido sob licença pela Fábrica Nacional de Motores (FNM), no Rio de Janeiro, mas a aeronave não chegou a ser construída.

  Após o fechamento da CNNA, em 1948, a equipe de engenheiros da empresa constituiu o Escritório Técnico de Aeronáutica (ETAE), visando manter o grupo em atividade para tentar a reabertura da fábrica. Essa equipe foi responsável pelo desenvolvimento do projeto do HL-12, bimotor cargueiro construído em madeira. Foi estudada a possibilidade de utilizar motores radiais de 450Hp, um grupo motriz aeronáutico norte-americano, cuja produção sob licença estava sendo cogitada para a Fábrica Nacional de Motores (FNM).O avião nunca chegou a ser produzido, ficando somente na fase de pré-projeto.

  O HL-13 foi projetado pela equipe de engenheiros do Escritório Técnico de Aeronáutica (ETAE), oriundos da CNNA, que encerrou suas atividades em 1948. Diferente de muitos dos projetos anteriores que não ultrapassaram a fase de projeto, a aeronave chegou a ser construída e realizou alguns voos de teste. Era um quadriplace de asa alta, com desenho similar ao HL-1, em versão ampliada. No entanto, não foi produzido em série, devido às dificuldades financeiras da empresa, aliadas à baixa demanda do mercado, onde predominavam as aeronaves de fabricação norte-americanas sobressalentes da Guerra, que eram vendidas a preços muito baixos.

  O projeto do HL-14 foi desenvolvido pela equipe de engenheiros do Escritório Técnico de Aeronáutica (ETAE), oriundos da CNNA, que encerrou suas atividades em 1948. Chegou a ser construído e testado, mas não entrou em produção.

  O HL-15 foi o último avião projetado pela equipe de engenheiros do Escritório Técnico de Aeronáutica (ETAE), oriundos da CNNA, que encerrou suas atividades em 1948. Foi concebido como um compacto jato de combate, inspirado do norte-americano F-80 Shooting Star, embora com estrutura de madeira em vez de metal. O projeto foi levado ao Ministério da Aeronáutica, que o recusou, pois não havia interesse oficial de investir em desenvolvimento de novos aviões. Com isso, o projeto foi abandonado e as atividades do ETAE foram encerradas.